Greve

Agência Focaia
Redação 
Vasco Aguiar

Reprodução




Os trabalhadores técnico-administrativos da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) iniciaram seu movimento paredista no dia 10 deste mês, e completou uma semana na última sexta-feira (17). A greve tem como foco principal impedir o avanço de projetos que instalam a cobrança de mensalidades nas universidades federais, o desmonte da carreira dos técnicos administrativos, além de um posicionamento contrário as reformas trabalhistas e da previdência.

No Campus Araguaia da universidade, segundo nota da SINTUF (Sindicato dos Trabalhadores Técnicos-Administrativos em Educação), a greve segue com os seguintes eixos: defesa da carreira dos técnicos, negociação salarial, contra ao aumento da contribuição previdenciária, em defesa do ensino superior público, gratuito e de qualidade, em defesa dos serviços públicos, contra a demissão por avaliação negativa e em defesa dos hospitais universitários.

(Fonte: Site Sintuf).

Eventos

Agência Focaia
Redação
Giulia Sacchetti

No Campus Universitário do Araguaia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) será realizado entre os dias 27 e 30 de novembro, o II Simpósio de Direitos Humanos do Araguaia, promovido pelo curso de Direito, Instituto de Ciências Humanas e Sociais (ICHS) e grupo de estudos do CUA. O evento terá palestras, apresentação de trabalhos, exposição de grupos de pesquisa e extensão.

As atividades estão voltadas para os acadêmicos e profissionais da área de Ciências Humanas e Sociais. De acordo com uma das organizadoras, professora Larissa Burmann, serão realizadas palestras ministradas por profissionais da UFMT e Poder Judiciário de Barra do Garças e Cuiabá, além de apresentação de trabalhos científicos e divulgação dos projetos de pesquisa e extensão do curso de Direito da UFMT, Campus Araguaia. 

Como destaca Burmann, o objetivo é "promover a integração dos acadêmicos, estimulando reflexões a cerca dos ramos da ciência jurídica" expõe.

Submissão

O valor da inscrição é R$ 20, com carga horária é de 40 horas para estudantes que participarem, como forma de melhorar o seu currículo acadêmico. A submissão de resumos deve ser feita até o dia 17 de novembro, através do e-mail: simposiodireitoshumanos@gmail.com

A programação completa consta na página oficial do evento.

Cinema

Agência Focaia
Redação
Barbara Argolo















O Núcleo de Produção Digita da UFMT, campus Araguaia foi premiado em três diferentes categorias na 15ª edição do Cineamazônia, Festival Latino-Americano de Cinema Ambiental, que ocorreu de 17 a 21 de outubro, na cidade de Porto Velho (RO), com o documentário “Xavante: Memória, Cultura e Resistência.

O festival, realizado desde 2003, tem como objetivo central de unir cinema e meio ambiente, divulgando e promovendo a mensagem pela sustentabilidade, o respeito à natureza e à tradição dos povos que dela dependem. O média-metragem (29 min) mato-grossense entrou na competição para curtas-metragens e foi vencedor nas categorias de melhor documentário, melhor trilha sonora e melhor montagem.

Dos cerca de 50 filmes selecionados para o festival, o júri considerou que o documentário produzido em Barra do Garças (MT) apresenta uma narrativa envolvente, que revela a tradição indígena sob a perspectiva do presente, e conduz o espectador à uma viagem de descoberta da cultura de um povo.

O documentário também foi exibido no Festival Internacional de Cinema e Vídeo Alternativo Comunitário Ojo al Sancocho, em Bogotá, na Colômbia, e no Festival Internacional de Cinema Indígena de Wallmapu (FICWALLMAPU), em Temuco, no Chile. Em abril deste ano, recebeu o prêmio de melhor pesquisa na Mostra SESC de Cinema de Mato Grosso e no mês de maio foi exibido na Mostra Latitude 15 de filmes mato-grossenses, em Cuiabá.

Realizada em parceria com os indígenas da etnia Xavante da aldeia Namunkurá, no município de Barra do Garças, a obra apresenta imagens inéditas de dois importantes rituais presentes na cultura do povo Xavante. O primeiro é o ritual Wapté Mnhõhõ, que marca a passagem do jovem Xavante para a vida adulta; o segundo é o Wai’á rini, um rito espiritual que envolve o sacrifício do corpo para obter o poder da cura.

Para o diretor do filme, professor do curso de Jornalismo Gilson Costa, este prêmio é de grande relevância. “O filme foi construído coletivamente. Além da equipe da UFMT, contou com a participação de professores indígenas, anciãos e jovens que participaram de uma oficina de formação audiovisual na aldeia”, relata o professor.

O projeto teve o apoio da Pró-Reitoria de Extensão da UFMT, da Secretaria de Estado de Cultura de Mato Grosso, e foi gerido por uma ação de extensão desenvolvida pelo Núcleo de Produção Digital da UFMT, campus Araguaia. 

Reitora pede apoio a Blairo Maggi para fortalecimento da UFMT

Política

Agência Focaia
Redação
Giulia Sacchetti
Fonte Ascom
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                     Foto - Ascom
A reitora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), professora Myrian Serra, reuniu-se na tarde de quinta-feira (9), com o Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi (foto abaixo). O encontro ocorreu em Brasília (DF).

Segundo Serra, a reunião foi produtiva e o ministro Blairo Maggi se mostrou sensibilizado com as demandas e empenhado em articular parcerias que permitam o atendimento das solicitações.

Na agenda, a reitora discutiu o apoio orçamentário do ministério para melhoria e ampliação da infraestrutura física dos cursos de graduação e pós-graduação da UFMT. 

O objetivo desta ação é que, a partir do fortalecimento do ensino e da pesquisa, seja possível promover o desenvolvimento do Estado, sobretudo nas áreas da agricultura e pecuária regional.

Durante a reunião de trabalho, reitora também solicitou o apoio do ministro para causas sensíveis ao desenvolvimento das atividades fins da Universidade, que impactam diretamente o desenvolvimento regional e o atendimento à sociedade mato-grossense. 


Entre as reivindicações da reitora está a conclusão do Campus de Várzea Grande, do Centro Oficial de Treinamento (COT), que funcionará no Campus de Cuiabá, e a retomada das obras do novo Hospital Universitário, cujo terreno foi doado na gestão de Blairo Maggi frente ao governo de Mato Grosso. 

Ainda em Brasília, a reitora encaminhou ofícios à bancada federal de Mato Grosso com pedido de emendas para o desenvolvimento da UFMT. 

A ação tem como objetivo buscar alternativas para a manutenção e o desenvolvimento das atividades da universidade, prejudicadas pelo contingenciamento do orçamento promovido pelo governo federal. 

Evento Acadêmico
Agência Focaia
Redação
Giulia Sacchetti

Será realizado na Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Universitário do Araguaia (UFMT/CUA) a II Semana da Engenharia Civil, de 27 de novembro a 01 de dezembro, organizado pelo Centro Acadêmico Integra Civil, juntamente com alunos voluntários do curso. No decorrer do evento, haverá palestras, minicursos, competições, coffe break e confraternização.

Segundo uma das organizadoras das atividades acadêmicas e também aluna do 4º período, Sabrina Jovedi, “o curso de Engenharia Civil infelizmente é um pouco carente desse tipo de evento para os nossos estudantes, de forma que alguns buscam eventos fora do campus, com isso, vamos inovar e trazer palestras e competições para que haja interação dos participantes” avalia.

Serviço

As inscrições para a II Semana da Engenharia Civil se iniciaram na última quarta-feira (8) e com encerram dia 24 deste mês, no valor de 60 reais, podendo ser realizadas com a organização, no Restaurante Universitário e no Espaço de Vivência do Campus II (Barra do Garças), das 11h30 às 13h15.

Para mais informações acesse a página na rede social da Semana de Engenharia: https://www.facebook.com/secufmtaraguaia/

Evento Acadêmico

Agência Focaia
Redação
Letícia Leite

Iniciado ontem (8) o Primeiro Colóquio de Geografia do Araguaia na Universidade Federal de Mato Grosso Campus Araguaia (UFMT/CUA), aberto à toda comunidade da região. O encerramento ocorrerá no próximo sábado (11). 

O evento tem como tema “O saber e o ensino de geografia postos em questão”. O objetivo dos organizadores é discutir as questões vinculadas ao ensino de geografia do ponto de vista acadêmico e o ensino escolar.

Segundo o professor do curso de geografia Sandro Cristiano de Melo, o colóquio não tem a pretensão de congresso, ele se baseia em discussão, debate, participação com mesa redonda e mini-cursos. Além de qualificar os participantes, com obtenção de conhecimento sobre o tema, dispõe para os acadêmicos a certificação de 40 horas, que serão entregues no dia 10 de novembro.

As inscrições para o curso de graduação estão no valor de R$ 30,00, pós-graduação R$ 40,00, professores da rede de ensino básico 30,00 e demais profissionais R$ 50,00. Os interessados podem se inscrever no laboratório de climatologia, no bloco de Geografia do Campus, na cidade de Barra do Garças (MT) ou no local do evento, antes das atividades.  De acordo com  Melo, participam do evento de Geografia cerca de 300 pessoas.

Programação

Hoje a programação do Colóquio segue com a conferência “O saber e o ensino de Geografia posto em questão”, das 19h30 às 22 h, com o professor Dr. Denis Castilho da Universidade Federal de Goiânia no auditório do cinema I. 

Na sexta-feira (10), das 14 às 17h30, no mesmo auditório, haverá mesa redonda sobre “Saber acadêmico e ensino escolar: desafios e possibilidades”, com os professores Paula Junqueira da Universidade Estadual de Goiás, Zenilda Lopes Ribeiro da UFMT e Magdiel Martins Ramos da rede publica de ensino de Barra das Garças. 

Durante à noite, das 19 às 22 h, haverá outra mesa redonda com o tema “A reforma curricular e o ensino de Geografia”, com os docentes da UFMT  Alexandre Eduardo Santos, Adriana Queiroz do Nascimento Pinhorati e Hugo Heleno Camilo Costa.

O encerramento ocorrerá, no sábado com atividades no auditório 224, das 13h30 às 17h30 com o curso “Escola e Geografia: caminhos para a formação democrática”, ministrado pelo professor Alexandre Eduardo Santos da UFMT/CUA.